Inovação e sustentabilidade

Em tempos de grandes transformações, nos quais a tecnologia avança para tornar-se fator de impacto nas relações sociais e corporativas, é de suma importância que sejam produzidos conhecimentos capazes de alinhar os interesses e garantir desenvolvimento na forma como ele deve ser entendido.

Estratégias que envolvam inovação para garantia da sustentabilidade efetiva devem estar presentes no cotidiano de profissionais que lidam com um mercado globalizado, porém ainda carente de uma visão de longo prazo. Para entender essa afirmação basta analisar a velocidade com que organizações são concebidas e seu ciclo de vida. Um bom olhar pela ecologia das organizações e pode-se perceber a falta de um perspectiva de perenidade e inovação.

Para permanecer viva em seu mercado, ou mesmo caminhar dentre os espaços deixados pelas grandes corporações globais é fundamental que as organizações aprendam a lidar com inovações em seus diversos níveis, fazendo uso de ações incrementais para garantir energia e perspectiva de transformações disruptivas.

Rever processos e produtos já não é uma maneira eficiente e eficaz de evolução. Deve-se vender o produto pelo que ele promove e entrega. Não mais apenas pelo que ele é em si. Os serviços também seguem esta forma de pensar. Empresas que se mantém pela marca e histórico (tradição) tendem a perder seu espaço muito rápido se não focarem na entrega.

Processos lentos, entregas deficientes, recalls e inefetividade são as doenças modernas das organizações. São efeitos de uma incompetência gerencial de tornar os negócios sustentáveis e centrados no desenvolvimento escalonável e real. Para que isso ocorra é fundamental que as lideranças estejam engajadas em projetos multi-trilha que conduzam à inovação como uma característica organização, como parte de seu DNA e com vistas às estratégias de sustentabilidade organizacional.

Deixe uma resposta